Lava Jato prende executivos de banco suspeitos de atuar em lavagem com a Odebrecht

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Operação Lava Jato deflagrou na manhã desta quarta-feira (8) uma nova fase, na qual foram presos executivos do Banco Paulista, sob acusação de facilitar a lavagem de dinheiro de propina que era distribuído pela Odebrecht.
Nesta etapa, a 61ª, os alvos dos mandados de prisão são três executivos do Banco Paulista: Paulo Cesar Haenel Pereira Barreto, Tarcísio Rodrigues Joaquim e Gerson Luiz Mendes de Brito. Também são executados 41 mandados de busca e apreensão em sedes do banco.
Segundo o Ministério Público Federal no Paraná, responsável pela Lava Jato, investigações revelaram que ao menos R$ 48 milhões repassados pela empreiteira no exterior a seis executivos acusados de corrupção foram lavados entre 2009 e 2015 por meio da celebração de contratos falsos com o banco no Brasil.
Outros repasses suspeitos a empresas aparentemente sem estrutura, na ordem de R$ 280 milhões, também são objeto da apuração, segundo o MPF.

Folhapress

Postar um comentário

0 Comentários