Efeitos dos cortes na UFPB poderão ser sentidos a partir de outubro, diz reitora

A reitora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Margareth Diniz, comentou que a Instituição aderiu ao movimento contra cortes nas Universidades e Institutos Federais que acontece no próximo dia 15 e destacou que a maioria do orçamento é engessada com custeio e que o sobra são apenas R$ 170 mil para as despesas.
A decisão foi tomada em assembleia universitária e de acordo com Margareth os movimentos sindicais elegeram dia 15 de maio para paralisação nacional em defesa das universidades. Pela manhã, ela contou, os sindicatos vão fazer movimentação dentro do campus e no centro da cidade e à tarde haverá uma audiência pública na Assembleia Legislativa.
Margareth reforçou que dos R$ 170 milhões destinados às despesas, o governo federal determinou um corte de R$ 40 milhões e a universidade pode começar a sentir os efeitos do corte a partir de outubro.


Marília Domingues / Felipe Nunes

Postar um comentário

0 Comentários