Bolsonaro empossa Abraham Weintraub como novo ministro da Educação

Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro empossou nesta terça-feira (9) o economista Abraham Weintraub como ministro da Educação. O novo titular da pasta substituiu no cargo o professor Ricardo Vélez Rodríguez.
A cerimônia de posse foi realizada no Palácio do Planalto no dia seguinte ao anúncio da demissão de Vélez Rodríguez e da escolha de Weintraub para sucedê-lo à frente do MEC.
A exoneração de Vélez e a nomeação de Weintraub foram publicadas em edição extra do "Diário Oficial da União" de segunda-feira (8).
Foi a segunda demissão na equipe ministerial de Bolsonaro – o primeiro exonerado foi Gustavo Bebianno na Secretaria-Geral da Presidência.
Em seu discurso após ser empossado, o novo ministro da Educação disse que o foco da pasta será "principalmente com a população" e que é preciso "melhorar o serviço" prestado pelo ministério.
Segundo ele, nos últimos 16 anos, 65% dos 11 ministros da Educação que vieram antes dele tinham filiação partidária.
"Eu não tenho filiação partidária. Eu tenho convicções políticas e elas guiam os meus passos, mas eu, Abraham, não estou acima do mandato que o presidente recebeu", afirmou Weintraub.
"O que trago de diferente dos ministros anteriores: não sou filiado a partido político, sou um técnico, professor universitário, de uma universidade de muito renome. [...] Tenho capacidade de gestão para entregar o resultado", complementou.
O novo ministro disse que agora, após a crise no MEC que levou à demissão de seu antecessor, o objetivo é "acalmar os ânimos, colocar a bola no chão".
"Tem gente que fala que sou muito radical. Não sou radical, eu sou aberto ao diálogo. Enquanto você não ameaçar a vida a integridade física de alguém, eu estou aberto ao diálogo", disse o novo chefe do MEC.
G1 

Postar um comentário

0 Comentários