UFPB economiza R$ 160 mil com energia elétrica após instalar sistema fotovoltaico

 

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) realizou, na manhã desta quinta-feira (30), a solenidade de inauguração do sistema fotovoltaico da Instituição, em um evento ocorrido no Centro de Tecnologia (CT), no Campus I, em João Pessoa.

A solenidade contou com a presença do Reitor da Instituição Prof. Valdiney Gouveia, do Diretor do Centro de Tecnologia Prof. Marcel Gois, do Superintendente de Infraestrutura da UFPB o Engenheiro Jairo Inocêncio, do Pró-Reitor de Pós-Graduação Prof. Fernando Perazzo, da Pró-Reitora de Gestão de Pessoas Profa. Rita de Cássia Pereira, do Presidente da Agência UFPB de Cooperação Internacional Prof. Sandro Marden, do Chefe de Gabinete da Reitoria Prof. Pablo Nogueira, do Superintendente do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), Dr. Marcelo Tissianni, além de membros da comunidade acadêmica.

O investimento para instalação do sistema fotovoltaico foi de R$ 1,070 milhão. Em operação desde 25 de agosto de 2021, o sistema fotovoltaico inaugurado faz parte da primeira etapa das ações de geração de energia elétrica na UFPB. Segundo o Superintendente de Infraestrutura da UFPB, a usina solar fotovoltaica já proporcionou a economia de R$160 mil, em 10 meses. A expectativa é de uma economia de R$ 200 mil por ano.

De acordo com o Reitor Valdiney Gouveia, o valor economizado com os gastos de energia elétrica será empregado em outros investimentos na Universidade, como, por exemplo, em obras paralisadas. Para ele, a implantação da usina fotovoltaica significa muito mais do que uma economia financeira para a Universidade.

“Essa economia significa que em cinco anos nós teremos pago essas placas e teremos pelo menos mais quinze anos para exploração desse recurso. Há que se dizer que, nesse ato, a UFPB não só economiza energia mas também promove uma ação ambiental importantíssima, que é apostar com energias alternativas, energias renováveis”, afirmou o Reitor.

Composto por 672 módulos (placas solares), com potência de 295kWp (quilowatt pico), o sistema fotovoltaico ocupa uma área de cerca de 1.500m² nos blocos de salas de aulas A, C, D e E, do CT, e gera, mensalmente, o equivalente a 4% da energia utilizada pelo Campus I da UFPB.

O Prof. Marcel Gois explicou que o CT foi o centro escolhido para a implantação das primeiras placas fotovoltaicas em razão de, historicamente, desde a década de 70, abrigar diversas iniciativas de pesquisas na área de energia solar, notadamente no Laboratório de Energia Solar (LES). Além disso, houve critérios técnicos envolvidos na decisão, como a estrutura de concreto maciço da laje do bloco de salas de aula, que assegura a capacidade de suporte do peso do sistema, bem como a área útil para receber o maior número de placas possível.

O professor fala sobre a importância ambiental da energia limpa. “Essa Usina solar fotovoltaica tem uma proximidade com a estação metereológica da UFPB e, quando a gente fala em geração de energia, a gente está falando em sustentabilidade, também da questão das mudanças climáticas e da conservação do meio ambiente. Por essa razão a gente escolheu a instalação nesse bloco de salas de aula, para ficar, de uma maneira simbólica, próximo à estação meteorológica”, esclareceu o Diretor.

Próximos investimentos

A Universidade prepara-se para expandir a geração de energia solar, o próximo centro a receber a instalação de placas fotovoltaicas será o Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR), localizado na unidade da UFPB no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.

De acordo com o Prof. Euler Macedo, Diretor do Centro de Energias Alternativas e Renováveis (CEAR) e coordenador dessa nova etapa do sistema fotovoltaico, os materiais para a obra devem ser entregues na primeira quinzena de julho e o início da instalação está previsto para ocorrer no mesmo mês.

Com investimento previsto de R$ 2 milhões, a instalação está sendo viabilizada por meio de uma parceria entre a UFPB e a empresa chinesa Huawei, destaque na área de tecnologia e soluções em equipamentos para redes e telecomunicações.  A tecnologia a ser utilizada é chamada Solar Tracker e permite a movimentação dos painéis durante o dia para otimizar a geração de energia.

Denominado Huawei Solar Tracking Control (AI Based), o projeto tem como objetivo o desenvolvimento de um sistema baseado em Inteligência Artificial (IA) que permita o posicionamento ótimo de painéis solares instalados sob sistemas de posicionamento (trackers) para uma maior geração em dias chuvosos ou nublados.

Além desta segunda usina fotovoltaica em parceria com a Huawei, o Reitor da Universidade, Prof. Valdiney Gouveia, sinaliza novos projetos na área. “Há uma outra parceria com a Energisa que dará origem a uma terceira usina e estamos em discussão com a Polícia Federal acerca de uma usina ainda maior, um investimento grande por parte da Polícia Federal em parceria com a Universidade Federal da Paraíba”, afirmou o Reitor Valdiney Gouveia.

MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários