Ministro nega pedido da defesa de Ricardo Coutinho

 O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sebastião do Reis negou mais uma ação da defesa do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, referente aos processos da Operação Calvário. O ex-gestor denunciado como incurso no crime de participação em organização criminosa.

A ação impetrada era para que o STJ deferisse a medida liminar para suspender o andamento do Procedimento Investigatório Criminal em trâmite no Tribunal de Justiça da Paraíba.

Conforme o ministro, “ocorre que, com o encaminhamento de questão de ordem a ser solucionada pela Justiça especializada, que, ao analisar detidamente os autos, entendeu que inexistem infrações eleitorais a serem apuradas, remanescendo a competência da Justiça Comum para processar e julgar os fatos imputados ao paciente, perde o objeto o pleito formulado na impetração”.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

A defesa de Ricardo Coutinho apresentou petição reiterando os fundamentos da inicial, diante do encaminhamento do feito à Justiça Eleitoral, mas o ministro Sebastião Reis, em decisão monocrática, julgou prejudicado o pedido, uma vez que os autos já foram remetidos ao TJ da Paraíba.

“Ressalte-se que não há como este Superior Tribunal, agora, intervir na questão para entender de modo contrário, uma vez que compete à própria Justiça especializada, nos termos do que decidiu o Supremo Tribunal Federal no julgamento do inquérito, analisar, de acordo com o caso concreto, a efetiva existência de conexão”, despachou o ministro.

A Justiça Eleitoral paraibana já tinha decidido pela inexistência de crime eleitoral seguindo o parecer do Ministério Público, que assinalou que o delito de organização criminosa, deve ser processado e julgado na seara da Justiça Comum Estadual, questão de ordem decidida pelo retorno dos autos ao Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

PARAIBA ONLINE COM Hacéldama Borba

Postar um comentário

0 Comentários