Bolsonaro é esnobado e Brasil fica fora da cúpula do G7, de novo

 


O governo da Alemanha anunciou nesta segunda-feira que vai convidar quatro países em desenvolvimento para a Cúpula do G7, que irá ocorrer em junho. Mas, assim como ocorreu em 2021 e em 2019, o Brasil foi esnobado. Se Jair Bolsonaro não for reeleito, ele terá passado os quatro anos de sua gestão sem ter sido convidado uma só vez ao evento das principais economias do mundo.

Para este ano, Berlim preside o G7 e optou por convidar ao evento os governos do Senegal, África do Sul, Índia e Indonésia. A lista dos convidados foi anunciada pelo porta-voz do governo Steffen Hebestreit.

Havia pressão contra a ideia de que o governo de Nova Déli fosse convidado, já que os indianos optaram por não condenar a Rússia por sua guerra contra a Ucrânia e terem, de fato, até mesmo aumentado suas importações de petróleo russo. Mas o convite acabou sendo confirmado.

Conhecido como o grupo das economias desenvolvidas, o G7 é formado por EUA, Itália, França, Japão, Canadá, Reino Unido e Alemanha. Mas tem já sido uma praxe dos líderes desses países ampliar a reunião para também ouvir as perspectivas de países em desenvolvimento. O Brasil, que por anos foi um dos países mais presentes ao evento, passou a ser preterido. Em 2021, na cúpula que foi sediada pelo governo britânico.

Uol

Postar um comentário

0 Comentários