Sem entendimento, Bolsonaro vê reajuste das polícias para 2023

 

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta sexta-feira (11), que se não houver “entendimento” das demais categorias de servidores públicos federais, o reajuste salarial dos policiais federais, policiais rodoviários federais e agentes penitenciários ficarão  para o próximo ano.

“Se houver entendimento por parte dos demais servidores, alguns ameaçam greve etc, a gente pretende conceder essa recomposição aos policiais federais, rodoviários federais e aos agentes penitenciários. Se não houver entendimento, a gente lamenta e deixa para o ano que vem”, afirmou.

De acordo com Bolsonaro, é justo que outras categorias reivindiquem o reajuste, mas a pandemia deixou o governo sem recursos.

“Tem uma polêmica sobre que teríamos reservado — e é verdade — quase R$ 2 bilhões para conceder reposições à PF, à PRF e ao pessoal que trabalha no sistema penitenciário. Houve uma grita geral. Muitos servidores querem aumento também. Eu acho que todos merecem aumento, todos merecem realmente porque trabalham, mas a pandemia nos deixou numa situação sem recursos”, declarou.

A reserva de R$ 1,7 bilhão para reajustes na Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) foi aprovada pelo Congresso no Orçamento do ano passado. A previsão de recomposição salarial para essas carreiras provocou reações entre as demais categorias de servidores federais, que passaram a também reivindicar reajuste e ameaçar paralisações. Fiscais da Receita Federal chegaram a entregar cargos de chefia em protesto.

MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários