TRE-PB espera que 2022 seja complicado por conta da polarização

 

Foto: Ascom

Foto: Ascom

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Joás de Brito, afirmou que a grande novidade nas eleições deste ano são as federações, pois é a união de partidos pelo período do mandato, ou seja, quatro anos.

“É como se fosse uma coligação por quatro anos, onde você tem compromissos com a federação. Inclusive, ela tem estatuto próprio. É como se fosse um novo partido”, disse.

De acordo com Joás, 2022 tende a ser um ano complicado, pois “está tudo muito polarizado”. Ele considerou que, após muitas explicações técnicas, o questionamento acerca das urnas eletrônicas ‘deu uma arrefecida”.

Joás destacou que a Justiça Eleitoral, a partir do momento em que for provocada, vai tomar todas as providências cabíveis para que o processo ocorra de forma democrática.

Sobre as restrições no âmbito sanitário, o presidente declarou que tudo vai depender do andamento da pandemia da Covid-19. Ele frisou, em entrevista a uma emissora de rádio, que acredita que toda a situação pandêmica está muito mais controlada e que não haverá surpresas.

Joás citou que o TRE-PB aguarda a chegada de aproximadamente 4.055 urnas do modelo 2020 para compor o parque de urnas. Também lembrou que o TRE da Paraíba já vem se preparando para as eleições deste ano desde as últimas eleições.

Para o eleitor que não votou e possui alguma pendência, o presidente disse que o prazo final para a regularização é 4 de maio. Também lembrou que a regularização pode ser feita virtualmente ou presencialmente, por meio de agendamento.


PARAIBA ONLINE

Postar um comentário

0 Comentários