Secretário de Saúde suspende envio de vacinas pediátricas para Lucena

 Após denúncia de que no município de Lucena, localizada no litoral norte da Paraíba, teria imunizado em torno de 60 crianças com vacina para adulto e ainda vencida, o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, informou que o Ministério Público está procedendo com as investigações e que o Estado vai administrar as vacinas para as crianças daquela localidade.

Por enquanto, estão suspensos os envios de vacinas pediátricas para o município, conforme o secretário, que informou ainda que está estudando a possibilidade, enquanto não se resolver a situação, de a Secretaria Estadual de Saúde executar a vacinação nas crianças para evitar qualquer tipo de imprevisto.

Segundo ele, é preciso esclarecer ao público que a vacinação ocorreu antes de chegar as doses pediátricas e que não há nenhuma relação de ter confundido as doses para adulto.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

“Foi uma atitude deliberada da Vigilância Municipal ou da técnica de Enfermagem, se houve dolo ou foi um erro eventual, o Ministério Público Federal juntamente com o Estadual é que vão apurar os fatos. Já ouviram a técnica de enfermagem e durante a semana serão ouvidas as demais pessoas que têm responsabilidade sobre a vacinação e após a conclusão efetuarão as medidas cabíveis a serem adotadas”, disse.

Medeiros esclareceu também que a Secretaria Estadual de Saúde tem a função de receber as vacinas, separá-las e distribuí-las, além de realizar capacitação e treinamentos.

“Em relação às doses pediátricas, foram realizadas quatro videoconferências e treinamento e o próprio Laboratório Pfizer realizou, diariamente, videoconferência de treinamento e capacitação para todas as Vigilâncias Municipais, então não há motivo para dúvidas ou erros”, refutou.

Já o prefeito do município de Lucena, Léo Bandeira, disse que foi pego de surpresa com a notícia, mas que já determinou o afastamento das pessoas envolvidas.

Disse ainda que já abriu um inquérito administrativo para apurar as causas, já que não houve nenhuma determinação por parte da administração.

“Nosso maior cuidado nesse momento é com as crianças que estão sendo monitoradas, mas até agora graças a Deus não apresentaram nenhum problema de saúde”, destacou.


PARAIBA ONLINE

Postar um comentário

0 Comentários