Manoel Junior: fomos alvos de uma intervenção bruta e antidemocrática

 

O prefeito de Pedras de Fogo, Manoel Junior, divulgou nota, nesta quarta-feira (12), criticando o processo de intervenção da Executiva Nacional do Solidariedade, que o tirou da presidência do partido na Paraíba.

“De forma abrupta e antidemocrática, fomos surpreendidos com uma intervenção em nosso Diretório, sem nenhum diálogo ou comunicação prévia, em total afronta às diretrizes partidárias, à democracia, e ao trabalho que estávamos desenvolvendo”, diz trecho da nota.

Na nota, Manoel Junior ressalta que, no início de 2019, depois de reiterados convites do presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, assumiu o comando do partido no estado, sem prefeitos, vice-prefeitos ou deputados filiados, e com um baixo número de vereadores em seus quadros.

“Sob nosso comando, o Solidariedade-PB saiu da condição de Comissão Provisória, tornando-se Diretório Estadual, e deu início a um processo de crescimento e fortalecimento, chegando ao número de 2.931 filiados, três prefeitos, cinco vice-prefeitos, 25 vereadores, frutos de uma expansão que chegou a 69 municípios”, afirmou.

Manoel Junior acrescenta que está deixando para a gestão que entra um partido totalmente organizado do ponto de vista burocrático, com as finanças em dia, sem máculas jurídicas ou administrativas. Ele também alertou os novos diretos sob os riscos de uma futura traição da Executiva nacional.

“Enfim, um Solidariedade-PB maior do que aquele que encontramos, com o desejo de que nossos sucessores possam dar continuidade ao processo de crescimento e desenvolvimento do partido, porém com o alerta para que não sejam, num futuro próximo, vítimas do mesmo expediente adotado contra a nossa gestão, eis que para os que se utilizam de tal expediente, pouco importa o trabalho, a seriedade, a honestidade ou as boas práticas de gestão”, declarou.

MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários