Estados não adotarão pedido médico para vacinação de crianças contra a Covid-19

 

Foto: Paul Hennessy / SOPA Images

Os estados não vão exigir pedido médico para vacinação de crianças. É o que afirmou, neste sábado (24), o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Eduardo de Oliveira Lula

“E é esse recado que queremos dar no dia de hoje, véspera de Natal: quando iniciarmos a vacinação de nossas crianças, avisem aos papais e às mamães: não será necessário nenhum documento de médico recomendando que tomem a vacina. A ciência vencerá. A fraternidade vencerá. A medicina vencerá e vocês estarão protegidos”, diz trecho de carta assinada pelo presidente do Conass.

Ontem, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga, afirmou que o ministério recomendará que as crianças de 5 a 11 anos sejam vacinadas desde que haja prescrição médica e assinatura de termo de consentimento pelos pais.

A vacinação desse público com o imunizante da Pfizer foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 16 de dezembro.

Entretanto, o governo anunciou cosnulta até o dia 2 de janeiro para ouvir a sociedade a respeito da imunização desse público.

MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários