Anvisa pede que PF apure ameaças após liberação de vacina para crianças

 

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na tarde deste domingo (19) crescimento de forma intensificada de ameaças contra servidores do órgão após a aprovação da vacinação em crianças a partir de cinco anos contra Covid-19.

A medida foi aprovada na semana passada durante reunião do colegiado. Setores da política ligados a Jair Bolsonaro (PL) e o próprio presidente têm dado declarações contrárias à aprovação e colocando em dúvida a eficácia da aplicação do imunizante da Pfizer no novo público apto a receber o medicamento.

Por causa das ameaças, a Anvisa enviou hoje ofícios aos órgãos de investigação e controle, como Procuradoria-Geral da República e Polícia Federal, reiterando pedidos de proteção policial aos membros da Agência. Em novembro, o órgão já tinha encaminhado pedido semelhante.

Foram acionados: Gabinete de Segurança Institucional), Ministério da Justiça, Procuradoria-Geral da República e Polícia Federal.

Veja a nota divulgada pela Anvisa:

Mesmo diante de eventual e futuro acolhimento dos pleitos, a Agência manifesta grande preocupação em relação à segurança do seu corpo funcional, tendo em vista o grande número de servidores da Anvisa espalhados por todo o Brasil.

Não é possível afastar neste momento que tais servidores sejam alvo de ações covardes e criminosas.

A Anvisa não publicará os anexos que materializam as ameaças recebidas para não expor os dados pessoais dos envolvidos, no entanto, todas as informações foram encaminhadas às autoridades responsáveis.

A Anvisa segue em sua missão de proteger a saúde do cidadão.

MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários