Luciano garante relação institucional com Manoel Jr, alvo da Polícia Federal

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), evitou comentar, nesta sexta-feira (9), a fase da Operação Lava Jato que teve como alvo na Paraíba o apartamento do vice-prefeito Manoel Júnior (PSC).
Indagado sobre o assunto, o gestor simplesmente disse que não iria comentar porque não tem conhecimento específico sobre a ação realizada hoje pela Polícia Federal na Capital paraibana. “Eu não tenho conhecimento sobre esse tema específico”, disse Luciano Cartaxo.
O gestor garantiu que mantém respeito e uma relação institucional com Manoel Júnior, mesmo o vice-prefeito tendo seguido  caminho distinto nas eleições de 2018.
Ainda durante a entrevista, Luciano não confirmou reforma administrativa e descartou alterar a liderança do governo na Câmara Municipal, função atualmente exercida por Milanez Neto.
“Não vejo nenhuma perspectiva de mudança na liderança de governo. Sobre reforma, é um processo que a gente sempre está buscando melhorar a equipe e otimizar os resultados. É um governo que não se sente em uma zona de conforto. É um processo permanente de aprendizado para buscar melhorar a vida da população”, ponderou.
O chefe do Executivo municipal também foi questionado sobre as propostas do presidente eleito,  Jair Bolsonaro (PSL), em extinguir ministérios. Para ele, se isso otimizar os serviços e as relações com o estados e municípios, será positivo.
“A gente não vive no Estado e nem no Governo Federal. Vivemos nos municípios. Se criar mecanismo mais rápido de fazer essas parcerias e que os recursos e serviços cheguem melhorados ao cidadão eu considerou um avanço importante”, argumentou.
Assista:
Roberto Targino e Albemar Santos – MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários