Bolsonaro diz que Moro pediu ‘liberdade total’

O presidente eleito Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva na casa dele, no Rio — Foto: Nicolás Satriano / G1
O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (1º) ter concordado “100%” com os pedidos do juiz Sérgio Moro para assumir o Ministério da Justiça, entre os quais “liberdade total” para combater a corrupção e o crime organizado.
Até então responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Paraná, Moro viajou ao Rio de Janeiro nesta quinta-feira e aceitou o convite de Bolsonaro para comandar o Ministério da Justiça e Segurança Pública a partir do ano que vem.
“Conversamos por uns 40 minutos e ele [Moro] expôs o que pretende fazer caso seja ministro e eu concordei com 100% do que ele propôs. Ele queria uma liberdade total para combater a corrupção e o crime organizado, e um ministério com poderes para tal”, disse o presidente eleito.
Ao conceder entrevista coletiva na casa dele, no Rio de Janeiro, Bolsonaro disse que não vai interferir do trabalho do futuro ministro.
Questionado se Moro será um “xerife” no governo, respondeu: “Vai ser um ministro importante. Qualquer pessoa que apareça no noticiário policial vai ser investigada e não terá qualquer interferência da minha pessoa”.
Ministério do Meio Ambiente
A ideia inicial do presidente eleito era fundir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, mas Bolsonaro já disse qestar “pronto” para voltar atrás, “se for o caso”.
Na entrevista concedida no Rio de Janeiro, informou que “ruralistas” disseram a ele avaliar que “não é o caso” fundir as duas pastas. Diante disso, afirmou que nomeará um ministro cujo perfil não seja “xiita”.
“Só que quem vai indicar o ministro do Meio Ambiente vai ser o Jair Bolsonaro. E não vai ser ninguém xiita”, disse.
G1

Postar um comentário

0 Comentários