Associação Nacional de Delegados critica exonerações de policiais

A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Judiciária (ADPJ) emitiu uma nota, nesta quinta-feira (1º), questionando às exonerações de delegados da Polícia Civil da Paraíba, feitas através de um decreto do governador Ricardo Coutinho (PSB) publicado no Diário Oficial do Estado.
De acordo com a presidente da ADPJ, Cinthia Paula de Lima, os servidores teriam sido afastados funções por “perseguição política” e aproveita para denunciar “sucateamento e falta de estrutura” nas delegacias do estado.
Confira a noite na íntegra
A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Judiciária (ADPJ), vem por meio de nota manifestar repúdio às ações do Secretário de Segurança Pública do Estado da Paraíba, ao mesmo tempo em que presta apoio à Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (ADEPDEL) e aos Delegadas , exonerados de suas funções por perseguição política na manhã desta quarta-feira, 31.
Situação de sucateamento, falta de contingente nas delegacias e esforços para trabalhar em meio a essas situações são a triste realidade enfrentada diariamente pelos delegados de todo país. Como se não bastasse, Delegados da Polícia Civil sofrem represálias.
O secretário de Segurança Pública, Claudio Lima, descartou Delegados responsáveis por grandes ações na Polícia Civil da Paraíba, sem qualquer fundamento, contrariando a Lei 12.830/2013. O Delegado Lucas Sá é reconhecido como um dos Delegados de maior produtividade, estava no comando de Operações importantes como Gabarito, Cartola, dentre outras. Além disso, a delegacia pela qual era responsável, a de Defraudações de João Pessoa, representa uma das com maior índice de produtividade na Polícia Civil do estado.
A ADPJ reitera o seu apoio aos Delegados que prestaram seus cargos com excelência e que fizeram seu papel, investigando sem aceitar interferências. Os Delegados de todo o Brasil passam por situações de desvalorização e repudiamos atitudes como as tomadas pelo secretário de Segurança Pública. Faremos de tudo para que represálias como essa não aconteçam em outros estados.
MaisPB

Postar um comentário

0 Comentários