Aesa prevê abertura de comportas do açude de Poções para Camalaú neste final de semana

Neste final de semana, as comportas do açude Poções, em Monteiro, no Cariri da Paraíba, deverá ser aberta. Com isso, a água seguirá caminho rumo ao açude de Camalaú e, depois, para o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, dentro do projeto do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco. A revelação foi feita nesta sexta-feira (2) por João Fernandes, presidente da Aesa (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba).
“A nossa expectativa é que as águas do açude Poções, por meio da descarga, sigam neste final de semana para o açude de Camalaú e, depois, cheguem pelo rio Paraíba, em Boqueirão, garantindo a segurança hídrica da região”, afirmou João Fernandes.
Ele acrescentou que já pediu ao Ministério da Integração Nacional o aumento da vazão das águas do canal da Transposição que chegam, em Monteiro, e seguem pelo rio Paraíba para os demais municípios paraibanos. Fernandes não quis fazer previsão sobre a chegada das águas em Boqueirão.
Problema nas válvulas
Na quarta-feira (31), o Ministério Público da Paraíba e o Ministério Público Federal realizaram uma reunião, no Dnocs para tratar do andamento das obras dos açudes Poções e Camalaú. Participaram o procurador de Justiça Álvaro Gadelha, integrante do Comitê de Gestão dos Recursos Hídricos do MPPB, e a procuradora da República Janaína de Sousa. A reunião contou ainda com a participação do engenheiro Marcelo Magalhães, dos representantes do Dnocs, Danilo Magalhães e Marcílio de Araújo.
Os representantes do Dnocs também relataram que o açude de Poções já está recebendo as águas da transposição do Rio São Francisco e que está próximo de transbordar e seguir caminho para o açude de Camalaú e, depois, para Boqueirão.
Na reunião, foi informado ainda que as válvulas fornecidas pela empresa construtora não foram compatíveis com o material contratado e que será realizada uma avaliação em relação a preço e qualidade do material. Os membros do MPPB e do MPF cobraram que o Dnocs expeça relatório sobre o ocorrido com as válvulas, destacando as medidas que serão tomadas.
Fiscalização
De acordo com o procurador Álvaro Gadelha, será realizada uma fiscalização pelo Ministérios Públicos do Estado e Federal para verificar a evolução obra, que está na fase final. Ao final, o procurador Álvaro Gadelha ressaltou a importância da parceria entre os Ministérios Públicos para a causa hídrica no Estado.

Postar um comentário

0 Comentários