Serviços da Prefeitura Municipal de João Pessoa previnem contra a obesidade infantil

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) oferece uma série de cuidados de prevenção à obesidade infantil, incentivando hábitos saudáveis entre as crianças assistidas pelos serviços da rede municipal. O trabalho é realizado de forma intersetorial envolvendo os serviços de atenção básica e especializada de saúde, além das escolas e centros de educação infantil.
Segundo o Ministério da Saúde, o excesso de peso em bebês e crianças de até 12 anos de idade está entre as principais causas de doenças como hipertensão, diabetes e colesterol alto. Por isso, o cuidado na rede municipal é iniciado desde cedo por meio das atividades do Programa Saúde na Escola (PSE).
Jane Freitas, responsável técnica municipal pelo PSE, explica que as equipes de saúde da família realizam ações educativas e de promoção à saúde com os pequenos nos centros de educação infantil e escolas municipais localizadas nas áreas em que atuam. “Além das orientações aos pais e responsáveis sobre alimentação saudável, também há o estímulo aos hábitos saudáveis no ambiente de aprendizagem das crianças”.
Durante as visitas às escolas e centros de educação infantil, as equipes de saúde da família fazem avaliação de crescimento e desenvolvimento dos estudantes. Quando é detectado sobrepeso ou déficit de peso em alguma criança, é realizado o encaminhamento para um nutricionista da rede municipal de saúde.
As crianças que não estudam na rede municipal de educação podem ser acompanhadas pelas equipes na unidade de saúde da família (USF) de sua região e, caso necessário, também são encaminhadas para os serviços especializados.  Os atendimentos com os nutricionistas são realizados nas policlínicas municipais, localizadas nos bairros de Tambaú, Mandacaru, Jaguaribe, Cristo Redentor e Mangabeira.
Principais causas – De acordo com o nutricionista e coordenador de saúde da criança da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Edgar Tito, a obesidade infantil tem várias causas. Entre as mais comuns estão fatores genéticos, má alimentação, sedentarismo ou uma combinação de todos esses fatores. Além disso, a obesidade em crianças também pode ser decorrente de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos a base de corticoides.
Edgar explica que, apesar de ser uma doença com influência genética, nem todos os pais e mães com obesidade terão filhos obesos. Da mesma forma, pais e mães dentro do peso podem gerar filhos obesos, porque além dos fatores genéticos, é necessário considerar hábitos da criança e da família.
Prevenção – O nutricionista destaca que a melhor maneira de prevenir a obesidade infantil é estimular a criança a ter hábitos saudáveis desde cedo. Portanto, o papel dos pais é fundamental. “A prevenção é sempre o melhor caminho, cabe aos pais ou responsáveis pela criança estimular hábitos saudáveis tanto na alimentação quanto a prática de atividades físicas”.
Por fim, ele orienta aos pais quais hábitos devem ser evitados e quais devem ser incorporados à rotina de suas crianças: aumentar frutas, vegetais e fibras, diminuir refrigerantes, diminuir o hábito de comer assistindo televisão, diminuir o tamanho das porções dos alimentos, caminhar ou andar de bicicleta e aumentar a prática de atividades físicas.

Secom-JP 

Postar um comentário

0 Comentários