Exército realiza operação para combater comércio ilegal de armas na Paraíba

O Exército Brasileiro iniciou mais uma etapa da operação Alta Pressão VII no estado da Paraíba com o objetivo de promover a fiscalização para combater o comércio ilegal de armas e munições. A ação acontece com o apoio das polícias Federal e Rodoviária Federal, das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros dos estados e das agências fazendárias de todos os níveis (federal, estadual e municipal).
São cerca de oito equipes que estão dedicadas à operação na Paraíba. De acordo com o sargento Ananias Gomes, as fiscalizações seguem até quinta-feira (18) nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas e caso exista alguma apreensão por irregularidades no armamento e/ou documentação, o produto deve ser encaminhado para o Exército. E se houver alguma ligação com crimes, deve ser encaminhada à Polícia Civil juntamente com a pessoa que estiver portando.
Primeira etapa
A primeira etapa da operação aconteceu no período de 19 e 22 de junho e resultou em 154 autuações e uma interdição, sendo apreendidas 158 armas de fogo, 30.195 munições, 105 airsoft (armas de pressão), 30 lunetas e 41 quilos de pólvora. Em todo o Brasil, foram empregados 774 militares do Exército e 367 integrantes dos órgãos de ordem e segurança pública e agências governamentais que, no total, percorreram a distância de mais de 100 mil quilômetros, fiscalizando 906 estabelecimentos comerciais.
Em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas, 14 empresas foram autuadas. Foram apreendidos 918 munições calibre 8 mm; 50 munições .22, 250 cartuchos calibre .22, 1,8 quilo de pólvora, 1 Pst 380mm; 4 Rifles cal 22 ; 2 espingardas calibre 20; 1 espingarda calibre 36; 1 espingarda calibre 32; 600 munições 38, uma arma de fogo Glock G25, dentre outros materiais foram apreendidos.
QP9 

Postar um comentário

0 Comentários