Sobe para 45 o número de detentos do PB1 capturados

A Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) atualizou para 45 o número de foragidos capturados após a fuga em massa ocorrida na madrugada desta segunda-feira (10), na Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1), em João Pessoa. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (12), pela assessoria de comunicação do órgão.
Conforme divulgado pelas autoridades da segurança, a operação para captura dos fugitivos seguem ao longo da semana. “Fiquem tranquilos que nós vamos dar a segurança adequada. São mais de 1.000 policiais militares nas ruas, então nós vamos buscar interromper a sensação de insegurança gerada por esse fato que nos preocupa enquanto cidadãos brasileiros”, disse o coronel Euller Chaves, em entrevista coletiva realizada nessa segunda-feira (10).

Reforço nas divisas do estado

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), foi reforçado o policiamento nas divisas da Paraíba. O patrulhamento é feito pelo Núcleo de Operações Especiais, grupo especializado no combate ao crime.

Entenda a fuga em massa no PB1

Cento e cinco detentos fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1) na madrugada desta segunda-feira (10). A fuga em massa aconteceu após um grupo composto por ao menos 20 homens fortemente armados invadir o complexo prisional e detonar explosivos no portão principal. A intenção dos bandidos seria resgatar quatro detentos, que são suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo a bancos. Muitos outros presos acabaram aproveitando a oportunidade para escapar da unidade.
Um tenente da Polícia Militar acabou gravemente ferido durante a fuga em massa. Ele estava na sede da Academia de Polícia Civil (Acadepol), no momento em que foi atingido por um tiro na cabeça. O prédio fica na rodovia estadual PB-008, que fez parte da rota de fuga dos detentos. O policial foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma, em situação grave.
Moradores das imediações do presídio ouviram a explosão e tiros. Nas redes sociais, áudios, fotos e vídeos circulam demonstrando o medo das pessoas, que relatam, inclusive, a possível invasão de detentos a casas próximas ao PB1.

Postar um comentário

0 Comentários