Projeto leva oficina de arte urbana a cidades paraibanas

A cidade de Santa Luzia foi a primeira beneficiada com a realização da oficina de arte urbana nesta última semana. O projeto de Economia Criativa do Sebrae Paraíba irá realizar ações voltadas ao segmento da arte visual nos nove municípios que integram o projeto. Dessa forma, a criatividade e a cultura, recursos trabalhados pela economia criativa, serão fomentados nas localidades.As próximas cidades que vão receber a oficina serão João Pessoa e Cabedelo.
Pelo menos 20 moradores de Santa Luzia, entre jovens e adultos com habilidade para desenho e pintura, participaram da oficina. Durante um dia inteiro, além de fundamentos teóricos, no qual foram trabalhados os conceitos de arte urbana, gentileza urbana, economia criativa, os participantes puderam aplicar o aprendizado na prática na praça Padre Jerônimo. O instrutor da oficina de arte urbana foi o artista plástico Jonas Lourenço, com o apoio da Jô Cortez, também artista plástica.
De acordo com a gestora de turismo do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, os participantes também aprenderam técnicas de pintura de móveis com spray, como forma de reaproveitar móveis em desuso. “Gentileza urbana inclui atitudes, gestos e intervenções que propiciem um novo olhar sobre a cidade, promovendo a preservação do seu patrimônio cultural e natural e ampliando o conceito de cidadania”, explicou.
O desenho do primeiro mural de arte urbana em Santa Luzia traz a temática das Festas Juninas e a singularidade do cenário das pequenas cidades do interior do estado. A oficina de arte urbana faz parte das ações previstas no projeto de Economia Criativa que será executado nos municípios de João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita, Campina Grande, Remígio, Matinhas, Patos, Santa Luzia e São Mamede. 

Economia Criativa

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), a economia criativa é um setor estratégico que já representa 10% do PIB mundial. A economia criativa trabalha com recursos como criatividade, cultura, conhecimento e tecnologia, que se renovam e multiplicam, em vez de serem escassos. O setor inclui as áreas de: áudio visual (cinema, televisão e publicidade), design, música, startups digitais (games, aplicativos) e tecnologia da informação e comunicação, artesanato, arte popular, festa popular, arte visual, arte cênica, editoração, moda, arquitetura, gastronomia e outras. Até 2020, o comércio mundial de bens e serviços criativos deve movimentar US$ 6 trilhões de dólares.

Postar um comentário

0 Comentários