Duas portas com Bispo Edir Macedo

Duas portas


Muitos dizem não ter fé para obedecer, porém, têm fé (coragem) para desobedecer. Não têm fé (coragem) para fazer o que é certo, mas têm fé (coragem) para fazer o que é errado.
Conhecendo bem a criatura humana, o Altíssimo, de forma justa e perfeita, tem colocado a bênção ou a maldição nas mãos de cada um. E cada um tem o poder de escolher o bem ou o mal, sem depender de ninguém, justamente para não ter como colocar a culpa de suas mazelas em outros.
Mesmo sendo fruto de um estupro, crescido num lar infernal, ainda assim, na idade adulta, a pessoa tem consciência do que é certo ou errado, justo ou injusto. Nesse caso, ela, e somente ela, pode optar pela bênção ou maldição.
O caminho da bênção é o caminho da justiça, do que é correto, da disciplina e de Deus. É um caminho difícil e penoso porque contraria a maioria deste mundo. O Senhor Jesus ensinou e ordenou:
Entrai pela porta estreita… E porque a porta é estreita, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mateus 7.14
Mas o caminho errado é o mais fácil. Não há sacrifícios da vontade pessoal. Dinheiro fácil, vida fácil, tudo é muito fácil. Mas o Senhor também alerta:
… porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. Mateus 7.13
É muito importante notar, especialmente, duas palavras do Senhor: poucos e muitos. Quer dizer, enquanto poucos escolhem o caminho penoso, o caminho do sacrifício para viver na disciplina da Palavra de Deus (a bênção), muitos não abrem mão das facilidades que o inferno disponibiliza (maldição).
Preste atenção nesta pergunta e responda: Você tem sido corajoso (fé) para obedecer à Palavra de Deus e covarde (medo, dúvida) para seguir desobedecendo aos desejos do coração ou você tem sido covarde (medo, dúvida) para obedecer à Palavra de Deus e corajoso (fé) para seguir os desejos do coração?
Os sinceros sempre acham lugar para o arrependimento e salvação.
Bispo Edir Macedo

Postar um comentário

0 Comentários