Dia D de vacinação antirrábica para cães e gatos acontece neste sábado


O Dia D da campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos, acontece neste sábado (22), na Paraíba. Em João Pessoa, são mais de 180 postos de imunização distribuídos por toda a cidade, das 8h às 17h, incluindo o Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz), no bairro dos Bancários. Os outros locais podem ser conferidos no site da Prefeitura de João Pessoa.
A meta é imunizar 727 mil e 372 animais – sendo 528.935 cães e 198.437 gatos, em todo o estado. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), após o Dia D, ainda terá um prazo máximo de 30 dias para atingir as metas.
Em João Pessoa, a expectativa é seja vacinado 80% da população canina da capital, atualmente estimada em 80 mil cães, devendo ser vacinados mais de 60 mil. Para os gatos, o Ministério da Saúde não estabelece uma meta de imunização, mas a Vigilância Ambiental do município pretende imunizar aproximadamente 15 mil felinos. Devem ser vacinados cães e gatos a partir dos três meses de vida.
De acordo com o Gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses da Secretária Municipal de Saúde, Nilton Guedes, cães e gatos devem ser vacinados uma vez ao ano.
“O fato de ter tomado a vacina ano passado não significa que não precise tomar este ano novamente. Porém, se o animal estiver debilitado não deverá receber a vacina. Isso será avaliado pela equipe no momento da vacinação e, após o restabelecimento do animal, ele poderá ser imunizado”, explicou.
O proprietário deve levar o cartão de imunização do animal, mas aqueles que não tiverem o cartão também receberão o comprovante de vacinação. Caso seja a primeira vez em o que o animal será vacinado, o proprietário deve ficar em alerta para a segunda dose, que deve ser realizada após 30 dias.

A raiva animal

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a raiva animal é uma doença causada por um vírus. Ela ataca diversos animais, e também o homem. Quase 100% das pessoas que adquirem a doença chegam ao óbito. O cão, o gato e o morcego são os principais transmissores da raiva em áreas urbanas.
O animal raivoso apresenta mudança de comportamento, para de comer, esconde-se em locais mais escuros, tenta beber água sem conseguir engolir, procura fugir de onde está preso e morde tudo o que vê pela frente (objetos, animais e pessoas).
Quando uma pessoa é agredida por um animal, a exemplo do cão, gato, morcego ou sagüi a recomendação é não matar o animal e pedir orientação ao Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz) de João Pessoa, através dos telefones: (83) 3218-9357 ou (3214-3459)


paraiba.com.br

Postar um comentário

0 Comentários