Detento que teria motivado ataque ao PB1 é transferido e agentes do presídio, investigados


O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público Estado da Paraíba (MPPB), em conjunto com a Delegacia especializada no combate ao crime organizado (DECCOR) e a Gerência de Inteligência e segurança orgânica da Secretária de Administração Penitenciária (GISOP), realizam a Operação Black Friday.
O objetivo é coibir a comercialização de celulares dentro da Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes, o PB1. Além disso, o apenado Livaci Muniz da Silva foi transferido para um presídio federal e Porto Velho.
Livaci Muniz da Silva, conhecido como ‘Galeguinho’, foi transferido por volta das 11h30 para o presídio de Porto Velho, em Rondônia. Ele é um dos quatro presos que teriam motivado a ação de resgate no PB1 no dia 9 de setembro.
Segundo a polícia, Galeguinho não fugiu porque estava no isolamento do presídio. Existe a suspeita de que agentes penitenciários do PB1 estariam envolvidos na ação que culminou com o ataque ao presídio, sendo investigados por facilitar o ataque.
As investigações apontam que os aparelhos celulares eram comercializados por diversos agentes penitenciários aos presos, no valor de R$ 15 mil. Já os carregadores eram comercializados por R$ 4 mil.
paraiba.com.br 

Postar um comentário

0 Comentários