Chefiado por advogado, esquema de tráfico de drogas sintéticas rendia R$ 700 mil por mês


Duas pessoas foram presas acusadas de integrar uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas sintéticas com atuação interestadual e chefiada por um advogado. 
Na coletiva concedida na manhã desta sexta-feira (21), os acusados: Francisco de Assis Leles Nóbrega Neto, conhecido como Víbora; Renata Maria Feitosa Cunha Guimarães, recém formada em direito; Alexandre Marinho Fernandes e o advogado Leonardo Dantas Vieira dos Santos, acusado de chefiar o grupo, foram apresentados à imprensa.
De acordo com o delegado Brás Morrone, as investigações começaram em novembro de 2017 e já foram apreendidos neste período quatro armas de fogo, dois mil comprimidos de êxtase, 26 mil pontos de LSD e 30 kg de skank, mesmo assim o esquema continuava em pleno funcionamento e rendia cerca de R$ 700 mil por mês.

O delegado explicou como a droga vinha de Manaus e era distribuída na Paraíba e acredita que o trabalho da quadrilha ainda não acabou, mesmo com os que são considerados líderes, presos. 
As investigações continuam e novas prisões podem acontecer. 
Para a delegada Roberta Neyva, que também participou da coletiva, os criminosos podem estar em todos os lugares, até nas classes mais altas.  

 paraiba.com.br

Postar um comentário

0 Comentários