Bolsonaro tem alta da UTI, diz boletim médico


O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), informou boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein na noite desta terça-feira (11).
Ainda segundo o Hospital, ele passou para uma unidade de cuidados semi-intensivos.
O boletim também afirma que foi iniciada "uma dieta leve, com boa tolerância do paciente sem apresentar náuseas ou vômitos".
Ele permanece sem febre e sem sinais de infecção, recebendo as medidas de prevenção de trombose venosa.
Bolsonaro está internado desde sexta (7) no hospital na Zona Sul de São Paulo se recuperando de uma facada levada durante ato de campanha no Centro de Juiz de Fora (MG), na tarde de quinta (6).
Nesta terça, Bolsonaro postou nas redes sociais um agradecimento ao evento de campanha de Juiz de Fora, onde acabou esfaqueado. “Nada apagará a chama da esperança que presenciamos nos olhos de cada um presente neste grande dia!”, disse na postagem, que contém também um vídeo aéreo do evento. As imagens não mostram o ataque.
A publicação ainda afirma que segurança é prioridade. "As pessoas precisam de emprego, querem educação, mas de nada adianta se continuarem sendo vítimas de latrocínio a caminho de seus trabalhos; de nada adianta se o tráfico de drogas permanecer na porta das escolas", disse. O político também criticou a ação de marqueteiros nas campanhas eleitorais.
À tarde, o candidato recebeu a visita do músico Roger Rocha, que postou foto com o político em suas redes sociais.
Na segunda, Bolsonaro fez postagens com críticas aos “acomodados com a velha política suja", e elogios. “Agradeço a cada cidadão, pai, mãe, filho e filha, pelos atos de solidariedade realizados nos últimos dias. Este apoio é nosso combustível", afirmou.
Recuperação em hospital de SP
Segundo a cúpula do Hospital Albert Einstein, os principais riscos que serão monitorados são pneumonia (pois o candidato ficou muito tempo em choque e perdeu cerca de 2 litros de sangue) e infecção (por causa do vazamento de massa fecal na cavidade abdominal).
A previsão de internação é de sete a dez dias. A retomada das atividades de campanha só deve ocorrer 20 dias após a data de internação. Depois da alta, o candidato será submetido a outra cirurgia de grande porte para "reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia".
A realização da operação já estava prevista para depois que o candidato tiver alta. Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a cirurgia só deve acontecer daqui a dois meses. Nesse meio tempo, Bolsonaro seguirá com a bolsa externa ligada à barriga.
G1 

Postar um comentário

0 Comentários