Banco do Corinthians é o pior do Brasileirão 2018


Um dos pontos que indica a dificuldade do Corinthians em montar um elenco forte para 2018 é a participação do banco de reservas no Campeonato Brasileiro. Ao lado do Santos, o grupo corintiano ocupa a lanterna no ranking de gols marcados por suplentes após 24 rodadas da competição. Uma oportunidade para aumentar essa conta vem no domingo, às 19h (de Brasília), em Itaquera, contra o Sport. 
Coube apenas ao meia-atacante Clayson, na segunda rodada do Brasileiro, anotar um gol em uma partida em que saiu do banco de reservas do Corinthians. Neste jogo, a equipe então dirigida por Fábio Carille já vencia por 2 a 0 quando ele ampliou o placar, seguido pelo titular Gabriel, que fechou a contagem. Desde então, nenhum suplente marcou no torneio. 
Durante seu trabalho como treinador, Osmar Loss ouviu críticas constantes ao impacto pequeno que suas substituições causavam nos jogos do Corinthians. Agora, Jair Ventura tem a missão de tentar recuperar atletas com baixo rendimento recente, como Mateus Vital, Emerson, Danilo e Pedrinho, relegado à reserva por Jair. 
No que diz respeito ao banco de reservas, uma das marcas do Corinthians no ano é a profunda transformação no elenco a partir da chegada do presidente Andrés Sanchez, em fevereiro. Novatos como Araos, Sergio Díaz, Matheus Matías, Jonathas e Roger foram adquiridos na tentativa de qualificar o setor ofensivo, o que teve pouco impacto até o momento. 
Em queda na Série A, com apenas uma vitória sobre o Paraná Clube nos últimos oito jogos, o Corinthians tem não apenas um banco de reservas que tem contribuído pouco ofensivamente, mas também poder de fogo pequeno nos minutos finais de partidas. Desde que Rodriguinho anotou aos 85 minutos para garantir vitória sobre o Fluminense, o time não encontrou um gol importante nas retas finais de seus jogos. Gabriel (contra o Paraná), Jonathas (contra o SP) e Romero (contra o Vasco) anotaram em duelos com resultados já encaminhados.
Por outro lado, quatro das dez derrotas no Brasileirão ocorreram com gols sofridos nos minutos finais: Roger Guedes fez para o Atlético-MG aos 41min (1-0), Rossi para o Internacional aos 46min (2-1), Mena marcou para o Bahia aos 45min (1-0) e Doffo deixou a Chapecoense em vantagem aos 49min (2-1).

Qual a participação de cada banco de reserva no Brasileirão?

Internacional - 7 gols
Nico López (3), Rossi, Wellington Silva, Jonathan Álvez e Camilo 
Bahia - 6 gols
Júnior Brumado, Régis (2), Allione, Vinícius e Mena
Sport - 6 gols
Everton Felipe, Carlos Henrique, Michel Bastos (2), Cláudio Winck e Marlone
São Paulo - 6 gols
Shaylon, Hudson e Tréllez (4)
Palmeiras - 5 gols
Guerra, Hyoran e Lucas Lima (3)      
Atlético-MG - 5 gols
Luan (2), Tomás (2) e Elias
Grêmio - 5 gols 
Thonny Anderson, Thaciano, Everton, Alisson, André
Flamengo - 4 gols
Vinícius Jr e Vizeu (3)
Vasco - 4 gols
Cosendey, Kelvin, Ramon e Thiago Galhardo
Chapecoense - 4 gols
Bruno Silva, Osman Jr, Doffo e Torres
América-MG - 3 gols
Juninho, Ademir e Rafael Moura
Paraná - 2 gols
Guilherme Biteco e Silvinho
Atlético-PR - 2 gols
Ederson e Rony
Ceará - 2 gols
Elton e Arthur
Vitória - 2 gols
Lucas Fernandes e Ramon

Fluminense - 2 gols
Pablo Dyego (2)
Botafogo - 2 gols
Rodrigo Pimpão e Aguirre
Cruzeiro - 2 gols
Bruno Silva e Raniel
Santos - 1 gol
Rodrygo
Corinthians - 1 gol
Clayson 
UOL 

Postar um comentário

0 Comentários