Apple surpreende e lança 1º iPhone com dois chips


A tecnologia eSIM foi uma das novidades anunciadas com os novos iPhones, lançados na última semana. O recurso possibilita que o iPhone XSiPhone XS Max e o iPhone XR tenham suporte a dois chips, algo antes inédito nos celulares da Apple. A tecnologia vai funcionar de forma diferente em cada país. Nos Estados Unidos, onde o eSIM está disponível, será possível ter duas linhas no telefone sem precisar de chips físicos diferentes. Já na China, os aparelhos chegam com entradas para mais de um cartão. No Brasil, os iPhones até chegam com o eSIM, mas ainda não há previsão se os smartphones terão suporte às duas linhas simultâneas.
A tecnologia, em tese, permite utilizar dois números de telefone no mesmo dispositivo, o que evita de andar com um segundo aparelho apenas para trabalho ou viagens. Assim como acontece com outros smartphones Android, o uso é personalizável de acordo com os gostos do usuário. É possível definir uma linha principal para ligações e SMS, enquanto a outra serve apenas para acesso à Internet, ou vice-versa. A Apple ainda ressalta que o iPhone precisa ser desbloqueado para funcionar com mais de uma operadora.

Entenda o funcionamento


Há diferenças estruturais entre os dois modelos globais de iPhone. Somente na China, Hong Kong e Macau os consumidores poderão inserir fisicamente dois chips de telefonia, tal qual acontece atualmente com o rival Galaxy S9, entre tantos outros telefones.
Já no caso do eSIM, a situação é um pouco diferente: o consumidor até adiciona um chip dentro do dispositivo, mas o segundo é digital. É fundamental que a operadora em questão ofereça a tecnologia, ou não será possível adicionar a linha secundária por meio de eSIM. O Apple Watch 3 com acesso à rede celular funciona de maneira similar. No país, apenas a Claro é parceira da Apple na liberação da funcionalidade.
O eSIM tem a promessa de simplificar a ativação de celulares, já que evita a troca de chip como realizamos atualmente. A tecnologia requer apenas uma configuração nos ajustes do iOS para incluir um número de telefone, seja ele corporativo ou pessoal. Todo trabalho pode ser feito por meio de um QR Code ou app oficial, ambos fornecidos pela empresa de telefonia.
A tecnologia para os novos iPhones, no entanto, ainda é limitada pelo mundo. Segundo a Apple, apenas dez países têm suporte ao recurso, entre eles Canadá, Alemanha, Índia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.
No Brasil, será comercializada a nova linha de iPhones com eSIM, mas sem possibilidade de usar dois chips físicos de telefonia. Não há previsão de quando as operadoras nacionais irão liberar o eSIM no smartphone da maçã.

iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max


Os iPhones XR, XS e XS Max foram apresentados nesta quarta-feira (12), nos Estados Unidos. Os celulares contam com o novo processador Apple A12 Bionic, que promete 15% de desempenho a mais, se comparado com o anterior, Apple A11 Bionic, e o mesmo visual do iPhone X, incluindo o fim do botão Home e do leitor de impressões digitais TouchID. Os preços começam em US$ 749 (cerca de R$ 3.118,16 em conversão direta) e não tem data de lançamento marcada para o Brasil.
Modelos premium da Apple, o iPhone XS e iPhone XS Max têm tela de 5,8 e 6,5 polegadas, respectivamente, e câmera dupla de 12 megapixels com Modo Retrato, que desfoca o fundo. Os celulares têm armazenamento 64 GB, 256 GB e 512 GB e estão disponíveis nas cores dourado, prateado e cinza espacial.
O iPhone XR é o modelo de entrada da Apple, com tela de 6,1 polegadas em LCD (chamada de Liquid Retina), câmera de 12 megapixels e armazenamento de 64 GB, 128 GB e 256 GB. O smartphone repete a aposta do iPhone 5C, com seis opções de cores: branco, preto, azul, coral, amarelo e vermelho.
A Apple também anunciou o Apple Watch 4, quarta geração do smartwatch da marca. Sucessor do Apple Watch 3, o relógio inteligente tem tela maior e watchOS com interface remodelada.

TechTudo 

Postar um comentário

0 Comentários