Açude de Boqueirão segue sem receber água e perde volume

O bombeamento de água do eixo leste da transposição do São Francisco para o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão (PB), está suspenso desde maio deste ano, devido à continuidade de obras nas cidades de Poções e Camalaú.
O açude de Boqueirão já chegou a armazenar cerca de 35% de volume de água após iniciar recuperação da estiagem, mas até esta quinta-feira (19) o açude marca 32,36% da capacidade. Segundo o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), as obras deveriam durar quatro meses.
De acordo com o gerente executivo de monitoramento e hidrometria da Agência de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), Alexandre Magno, o tempo que a pausa na transposição irá durar depende das obras, até lá o Boqueirão depende apenas da chuva, mas não há motivos para preocupação.
“Até onde fui informado, soube que as obras iriam durar até novembro, mas é algo incerto, tudo dentro da normalidade, não tem nenhum problema”, destacou o gerente.
O nível elevado do açude de Camalaú e o consequente alagamento da região da tomada da água são colocados como motivo para o descumprimento do prazo de quatro meses para finalização da obra.
O açude de Boqueirão abastece Campina Grande e mais 18 cidades e depende da chuva para continuidade de abastecimento. Outro problema enfrentado é a qualidade da água, que foi questionada após consumidores sentirem cheiro e gosto.
Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.POSTADO POR FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTA.COM.BR

Postar um comentário

0 Comentários