terça-feira, 9 de maio de 2017

Em novo artigo, Evaldo Gonçalves fala sobre: "Jaramataia: dimensão Nacional?"

Os velhos Cariris paraibanos foram batizados, em priscas eras, pelos índios, ali fixados, de Jaramataia, que, em Tupi Guarani, seria a tradução dos entulhos trazidos para o litoral, quando das enchentes do Rio Taperoá.
 
Nascido em Santo André, antes pertencente ao município de São João do Cariri, portanto, na Jaramataia, sinto-me na obrigação de, à falta de outros gestos de agradecimento, tentar ressaltar as conquistas dos Velhos Cariris, com registros singelos, correto, todavia, ungidos dos melhores sentimentos.
 
Assim é que, como cronista eventual, fazendo de meus desenxabidos registros jornalísticos, ao cabo de algum tempo, objeto de livros, os tenho transformado numa série com a denominação de Crônicas do Benquerer, exaltando, por outro lado, minhas origens telúricas, em três volumes: Da Jaramataia à Cidade Grande, Da Jaramataia ao Planalto e, por último, Da Jaramataia à Clausura, como subtítulos.
 
Agora, quando as águas do São Francisco inundam os Cariris Velhos e também Campina Grande, sem esquecer os municípios por ela polarizados, não se deve esquecer o Bem que o Rio Taperoá prestou à Região, unido ao do Meio, de Monteiro, ao longo dos séculos, antes, inclusive, da construção do Açude Boqueirão.
 
Não se deve esquecer que os Rios Taperoá e do Meio, tornar-se-ão afluentes das águas do Rio São Francisco, respeitando-o, certamente, todavia, sem perder a condição de pioneiros, valores que continuarão existindo. Assim, a Jaramataia dos Índios Cariris e o Rio Taperoá, ganham dimensão nacional, pertencendo, doravante, não só a uma Região, mas ao Brasil, como um todo.
 
A alegria contagiante da gente do Cariri, comemorando ruidosamente a sangria das águas do Rio Taperoá, promovendo seu abraço com as águas do Rio São Francisco, assume, também, esse significado superior, ou seja, conquista renome nacional, por pertencer, doravante, à condição de
 
integrante da Bacia Hidrográfica do Velho Chico se tornando Rio Nacional.
 
Evaldo Gonçalves é da APL e do IHGP
 
VITRINE DO CARIRI
Por Evaldo Gonçalves
POSTADO POR FERNANDO COUTINHO
NAÇÃORURALISTARADIOJORNAL.COM.BR 

Nenhum comentário:

Postar um comentário