Prefeito de Gurjão classifica reforma da previdência como injusta

 O Prefeito da cidade de Gurjão, Ronaldo Queiroz, foi um dos poucos Prefeitos que estiveram na última sexta-feira (24), no movimento “Levanta Cariri”, que aconteceu na cidade de São João do Cariri, contra a reforma da previdência.
 
Entre os pontos propostos na reforma da previdência, estão 65 anos como idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres, sem diferenciação. A medida atinge ainda os setores público e privado, à exceção dos militares. A idade mínima para aposentadoria ainda estará sujeita a ajuste, caso aumente a ‘sobrevida’ dos brasileiros. 
 
Os trabalhadores rurais na regra atual não são obrigados a contribuir com o INSS, mas com a proposta, deverão contribuir e terão idade mínima de 65 anos como regra. 
 
De acordo com o governo, a proposta é que para os trabalhadores rurais, as novas regras deverão ser discutidas após possível promulgação da PEC, através de projeto de lei. 
 
Para o prefeito Ronaldo, o texto proposto pelo governo de Michel Temer é injusto ao comparar a realidade de um trabalhador rural do Nordeste Brasileiro à de um trabalhador urbano de países como os da Escandinávia.
 
“Uma proposta de reforma que se pretenda justa deve considerar a experiência histórica de cada país, seu estágio de desenvolvimento e das condições materiais de vida do seu povo, e expõe 12 indicadores sobre desigualdade de renda, mercado de trabalho, gênero, expectativa de vida ao nascer, a probabilidade de não se atingir 65 anos” disse o gestor de Gurjão. 
POSTADO PELA NAÇÃORURALISTARADIOJORNAL.COM.BR

Postar um comentário

0 Comentários