Adolescentes, adultos e idosos devem tomar vacinas para se proteger de doenças; veja quais

A importância da vacinação durante a adolescência, a fase adulta e em gestantes e idosos pode livrar essas pessoas de doenças que devem ser prevenidas. Segundo a Saúde de João Pessoa, a vacinação pode ajudar a prevenir desde um simples resfriado como doenças mais sérias, como a febre gripe A.

Leia mais Notícias no Portal Correio e naçãoruralista.com.br

Na fase da adolescência, a verificação do cartão de vacina deve ser uma das mais importantes tarefas efetuadas pelos pais, que só costumam se preocupar com a imunização dos filhos quando eles são crianças.

Na fase adulta, a necessidade de vacinação não muda. Segundo o Ministério da Saúde, é necessário que o adulto faça uma visita a unidade de saúde e leve o cartão de vacina para saber se há vacinas incompletas que precisem ser atualizadas, como do sarampo, caxumba, rubéola, difteria, tétano e hepatite B.

“Se o usuário não tiver o cartão de acompanhamento de vacinação, na USF será aberto um novo documento e dará início as doses, pois é necessário para se imunizar cumprir as doses recomendadas no esquema pelo menos uma vez na vida e depois se necessário só reforço”, afirmou a chefe da Seção de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Chiara Dantas. 

Para idosos, às campanhas de vacinas devem ser obedecidas. “A vacinação contra gripe é necessária uma dose todo ano e para idosos acamados a vacina contra pneumonia ofertada pelo SUS. Já as gestantes, precisam seguir rigorosamente o calendário e as doses recomendadas pelos profissionais de saúde, como parte do programa de pré-natal”, disse Chiara Dantas.

Veja abaixo quais as vacinas que se deve tomar a partir da adolescência:

Adolescentes: entre 10 e 19 anos – três doses da hepatite B, febre amarela (outras doses só precisam ser reforçadas a cada dez anos), segunda dose da tríplice viral, HPV (administrada dos 9 aos 13 anos) e Dupla Adulto (com reforço a cada dez anos).

Adultos: entre 20 e 59 anos - três doses da hepatite B, febre amarela (áreas de risco), uma dose da tríplice viral (administrada até os 49 anos) e Dupla Adulto (com reforço a cada dez anos).

Idosos: 60 anos ou mais -hepatite B, Dupla Adulto (com reforço a cada dez anos) e Influenza.

Gestantes: hepatite B, Dupla Adulto, DTPa (Difteria, Tétano e Coqueluche) a partir da 27ª semana de gestação e Influenza.

Postar um comentário

0 Comentários