Gilvan Freire escreve: Todo dia o governo de Temer morre um pouco. Quando morrerá de vez?

TODO DIA O GOVERNO DE TEMER MORRE UM POUCO. QUANDO MORRERÁ DE VEZ ?
O país está passando por uma demorada via-crúcis, que sai do pretório e segue martirizando o povo até o calvário. O pretório, nos tempos da Roma antiga, foi tudo : abrigo dos generais, palácio dos soberanos e tribunal.
Melhor que tenha tido ao longo da história essas denominações. Vale a pena considerar hoje, simbolicamente, no Brasil, que o pretório seja a junção dos três, significando todas as autoridades juntas nos três poderes. Do ponto de vista da má fama, são assemelhados e praticam desatinos em associação. Se atolam cumpliciados nos lamaçais que infestam a nossa Roma.
A nossa Via Dolorosa é longa. Vem de 13 anos, quando o governo não era muito bom mas ainda poderia piorar e a gente nem acreditava nisso. Governo aqui no sentido também dos três poderes. Havia pelos menos uma aura de confiança pública nas autoridades constituídas. Não sobrou sombras do que o povo imaginava que fossem.
Lula, Dilma e Temer são os fantasmas dessa trindade mal-assombrada. Milhos do mesmo cuscuz estragado.. Nos demais poderes, as figuras são dessa contemponeidade maldita. Ninguém morre de vez nem desiste do poder . Nós é que temos a obrigação de tolerá-los. Eles parecem imortais, mas nós morremos antes do tempo. De desengano, tédio e
inconformação. Mas sem o poder ele definham e somem . É um alívio social e uma grande economia de dinheiro público. O sumiço é uma forma de matar os imortais . Que sumam.
Fonte: PBN/por Gilvan Freire

Postar um comentário

0 Comentários