Pesquisa de EUA e PB associa zika à microcefalia na gestação e não vê influência de inseticidas



Em evento realizado na Fundação Casa de José Américo, em João Pessoa, nesta quinta-feira (31), o governador Ricardo Coutinho se reuniu com representantes do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Governo dos Estados Unidos (CDC), para apresentar os resultados preliminares da pesquisa de caso-controle sobre microcefalia feita na Paraíba em parceria entre o governo do Estado, Ministério da Saúde e o CDC. A pediatra e epidemiologista do CDC, Erin Staples, disse que mais de 600 mães e bebês foram objetos do estudo. Segundo ela, a pesquisa mostrou que a microcefalia atinge mais os bebês de mães que tiveram a zika durante o primeiro trimestre da gestação. O estudo também não encontrou nenhuma associação da microcefalia com a exposição de produtos como inseticidas.

Leia mais Notícias no Portal Correio e naçãoruralista.com.br

Entre os bebês observados, 52% são do sexo feminino e 48% do sexo masculino, na faixa-etária de 0 a 7 meses. O estudo também não encontrou nenhuma evidência que associe níveis de renda ou escolaridade com a microcefalia. O problema ocorre em classes sociais e níveis escolares variados. Erin Staples ainda explicou que a próxima etapa da pesquisa será feita nos Estados Unidos com a análise das amostras de sangue coletadas nas mães e bebês paraibanos. Somente após esta fase, os resultados finais serão divulgados.

“Estamos começando uma caminhada, mas ainda temos que buscar entender o universo de casos onde a zika não se relaciona com a microcefalia. As dúvidas ainda são enormes, nossa expectativa é continuar universalizando o conhecimento, porque a troca de saberes é fundamental para ambas as partes. Continuamos à disposição dos Estados Unidos e queremos conhecer os resultados finais que ainda sairão desta pesquisa”, disse o governador.

O estudo na Paraíba teve início no dia 22 de fevereiro, contando com oito equipes de campo. O estudo de caso-controle foi feito por meio de coleta de dados, entrevistas e realização de exames em crianças com microcefalia, além de bebês saudáveis e as respectivas mães.

Também participaram do encontro, a vice-governadora Lígia Feliciano, a secretária da Saúde, Roberta Abath, a coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, Sandra Mattos, o cônsul dos Estados Unidos em Recife, Richard Reiter, e outras autoridades na área da saúde.

Postar um comentário

0 Comentários