Bradesco é o mais reclamado


Bradesco lidera ranking de reclamações em 2011, aponta Procon-SP

Já a B2W, dos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime, saltou da 21ª posição para a 2ª

O grupo Bradesco liderou o ranking de reclamações em 2011 da Fundação Procon-SP, com 1.723 queixas, seguido pela B2W - empresa responsável pelos sites de e-commerce Americanas.com, Submarino e Shoptime (1.574 reclamações). Enquanto o banco passou da 3ª posição para o topo da lista, a B2W saltou da 21º colocação para o segundo lugar. Ontem, o Procon-SP anunciou a suspensão por 72 horas dos três sites da B2W, mas a decisão foi revogada pela Justiça no início da noite. O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira, 15, Dia Mundial do Consumidor.

O ano foi marcado pelo crescimento dos atendimentos relacionados às compras feitas pela internet. Houve aumento de 86% das queixas perante 2010, sendo que a maior parte delas dizia respeito à falta de entrega e defeitos nos produtos adquiridos.

O Itaú Unibanco melhorou uma posição, de 2º para 3º lugar, com 1383 reclamações, seguido pela LG (1164), TIM (937) e Telefônica (835) - que liderou o ranking por cinco anos seguidos. Oi, Eletropaulo, Carrefour e Panamericano fecham a lista das 10 empresas mais reclamadas pelo órgão. Veja tabela:




Entre os setores, a área de produtos (móveis, eletrônicos e vestuário, dentre outros) foi a que registrou maior número de reclamações (37%), seguida por assuntos financeiros - bancos, seguradoras, financeiras - com 28% e serviços essenciais (telecomunicações e energia elétrica e saneamento básico), com 17%.

Em 2011, o Procon realizou um total de 727.229 atendimentos, alta de 15% em relação a 2010. A maior parte, ou 589.535, foram apenas para consultas e orientações.

As demais (137.694) foram as chamadas Cartas de Informação Preliminar (CIPs), que são enviadas ao fornecedor solicitando providências sobre o ocorrido. A maioria (76%) foi solucionada numa fase preliminar, enquanto as restantes - 33.401 - foram contempladas como reclamação fundamentada, aquelas em que as demandas de consumidores não são atendidas e é preciso abrir um processo administrativo. Dentre elas, pouco mais da metade (52%) não foi solucionada pelas empresas nessa etapa.

Ranking online

O Procon-SP também lançou nesta quinta o ranking online das 30 empresas que mais geram queixas ao órgão, que será atualizada diariamente.

A lista contém reclamações desde 1º de janeiro e indicará as irregularidades e o índice de solução dos fornecedores aos casos reclamados.





Estadão

Postar um comentário

0 Comentários