sexta-feira, 10 de novembro de 2017

JOGO DURO COM FERNADO COUTINHO,Gastos de prefeituras da PB com combustíveis daria para fazer 2,6 mil viagens ao Japão

2,6 mil viagens ao Japão


Prefeitura de João Pessoa lidera o ranking com R$ 4,127 milhões gastos até o momento com combustíveis no ano
Mais política | Em 09/11/17 às 13h23, atualizado em 09/11/17 às 14h22 | Por Alexandre Freire e Rammom Monte
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Imagem Ilustrativa
O Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB) disponibiliza em seu site uma ferramenta para permitir o acompanhamento dos gastos das prefeituras com combustíveis ao longo do ano. Os dados referem-se às despesas realizadas em áreas como saúde, educação, urbanismo, administração, agricultura, assistência social, entre outras. O total de gasolina adquirida por dez prefeituras daria para realizar 1.328 viagens de ida e volta, em linha reta, de João Pessoa a Tóquio, no Japão.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio TAMBEM  NA NAÇÃORURALISTA.COM.BR
Os números do TCE-PB mostram que as 10 maiores despesas com combustíveis no estado totalizam R$ 16.059 milhões. Esse valor daria para abastecer, por exemplo, 89.216 tanques de 50 litros, levando em consideração o litro da gasolina sendo vendido a R$ 3,60. O consumo médio considerado, nesse caso, foi de 10 quilômetros por litro.

De acordo com o levantamento, a Prefeitura de João Pessoa lidera o ranking com R$ 4,1 milhões gastos até o momento com combustíveis no ano. Já a prefeitura de Água Branca, no Sertão paraibano, a 309 quilômetros da Capital, é a que menos efetuou gastos com combustíveis, com R$ 74,9 mil.
Em 2º lugar entre as que mais gastam, aparece a Prefeitura de Campina Grande, no Agreste paraibano, com despesas de R$ 2,6 milhões.
As dez mais e as dez menos 
A Prefeitura de São Bento, no Sertão do estado, figura com o 3º volume de despesas com combustíveis, segundo o Tribunal de Contas. O levantamento mostra que lá foram gastos R$ 1,409 milhão. Completam o ranking dos maiores gastos as prefeituras de Cruz do Espírito Santo (R$ 1,314 milhão), Sousa (R$ 1,215 milhão), Ingá (R$ 1,166 milhões), São João do Rio do Peixe (R$ 1,155 milhão), Guarabira (R$ 1,091 milhão), Pedras de Fogo (R$ 1,007 milhão) e Catolé do Rocha (R$ 956 mil).

As dez prefeituras paraibanas com os menores gastos com combustíveis são Água Branca (R$ 74,9 mil), Igaracy (R$ 109,66 mil), Lagoa (R$ 146,47 mil), Mato Grosso (R$ 167,39 mil), São Sebastião de Lagoa de Roça (R$ 170,74 mil), Carrapateira (R$ 171,58 mil), Serraria (R$ 172,58 mil), Pirpirituba (R$ 179,02 mil), São José de Caiana (R$ 180,98 mil) e Cajazeirinhas (R$ 181,37 mil)
FERNANDO COUTINHO, ENQUANTO SOBRA DINHEIRO PRA COMBUSTIVEL  E FESTAS FALTA MEDICAMENTOS, AGUA PARA CONSUMO HUMANO,  MAIS DETALHES ESCUTE NO PROGRA -
MA RADIODEBATE  DESABADO PELA NAÇÃO.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Quais são os alimentos que podem causar dor articular?

 Muitas vezes pensamos que sentimos dor articular devido aos esforços indevidos e a má postura. No entanto, a comida pode ser a causa das dores, já que existem “alimentos” que provocam inflamação e adoecem nosso corpo.
Gostaria de saber o que pode estar causando sua dor articular? Continue lendo este artigo!

 

Artrite, gota e fibromialgia pela alimentação

Não é uma novidade que os produtos que são vendidos nos supermercados estão repletos de substâncias cujos nomes são irreproduzíveis, e seus efeitos no corpo “deixam bastante a desejar”.
Diariamente enfrentamos aditivos e conservantes químicos muito prejudiciais para nossa saúde. As pesquisas recentes indicam que estes podem ser a causa das dores e inflamações nas articulações, principalmente nas pessoas com doenças como:
  • Fibromialgia
  • Gota
  • Artrite
  • Artrose
  • Hérnia de disco
Evitar estes alimentos pode reduzir notavelmente os sintomas mais frequentes (rigidez, inchaço ou dor articular) e ajudar a recuperar a capacidade de realizar certas atividades que, até o momento, eram muito difíceis, desde abrir um frasco até subir uma escada.
É um verdadeiro desafio evitar estes alimentos porque estão muito presentes em nossa dieta diária. Mas vale a pena! O alívio que você desfrutará em suas articulações será realmente maravilhoso.
Não se esqueça de que estes alimentos podem estar sendo a causa dos problemas, por isso será melhor dizer-lhes adeus para sempre.
Não se esqueça de ler: Sopa curativa para o tratamento da fibromialgia

Evite estes alimentos para reduzir a dor articular

Preste muita atenção nos seguintes tipos de alimentos que podem estar provocando a dor articular:

Vegetais pertencentes às solanáceas

Toda esta família pode ser um verdadeiro pesadelo para você. Estão incluídos:
 
  • Batata
  • Tomate
  • Berinjela
  • Pimentão
  • Pimenta
  • Batata-doce
Preste muita atenção a certos pratos preparados com estes alimentos porque eles contêm um alcaloide chamado solanina, responsável por acumular os depósitos de cálcio nos tecidos. Evite estas verduras durante um mês e você verá os resultados.

Alimentos com purinas

Este composto forma ácido úrico e o acumula no corpo, principalmente nas articulações e nos tecidos. Isto provoca muitas dores e pode originar a gota. Se você sofre dor e inflamação, deve deixar de consumir:
  • Fígado
  • Rins
  • Miolos
  • Molhos engrossados
  • Caldos industrializados
  • Bacon
  • Peru
  • Arenque
  • Sardinha
  • Mexilhões
  • Bacalhau
  • Anchovas
  • Truta
  • Cogumelos
  • Ervilhas
  • Espinafre
  • Favas
  • Grão-de-bico
  • Cerveja

Oleaginosas e óleos

Não use óleos para a cozinha, somente o azeite de oliva extra-virgem. Alguns recomendam utilizar o de linhaça porque é saudável e contém ácidos graxos ômega 3, que tem a capacidade de desinflamar as articulações.
Com relação às oleaginosas, estes também apresentam óleos que, mesmo que sejam bons para a saúde, podem aumentar o inchaço muscular e articular. Podem ser consumidos, mas em pouca quantidade, e não mais do que uma vez na semana.

Laticínios

As pessoas que têm artrite ou que sofrem com dores nas articulações experimentam sintomas mais agudos ao consumir laticínios e mais leves caso os deixem de consumir. Dentro deste grupo se encontram:
  • Leite
  • Iogurte
  • Manteiga
  • Margarina
  • Creme de leite
  • Nata
  • Sorvetes
A razão é um elemento chamado caseína. Se você quer obter cálcio e proteínas da melhor qualidade, ao invés de consumir laticínios escolha:
  • Espinafre
  • Acelga
  • Amêndoas
  • Lentilhas
  • Feijão
  • Quinoa
  • Tofu

Farinhas

As farinhas refinadas de trigo e centeio contêm glúten. Além de não serem aptas para celíacos, também produzem inflamação gastrointestinal. Além disso, provocam inchaços nas articulações para aqueles que sofrem de artrite e pioram os sintomas.
 
 
No lugar da farinha branca, escolha uma que seja integral.

Ovos

É algo contraditório que este alimento, que está presente em centenas de receitas tanto doces quanto salgadas, não seja recomendado. Os ovos são uma grande fonte de proteínas, mas não são recomendados para pessoas com artrose, já que podem causar dor e inflamação.
Isto se deve ao fato da gema conter um elemento chamado ácido araquidônico, o qual se torna inflamatório ao ser ingerido. Ao deixar de consumir ovos você notará menos inchaço e dor nas articulações. E para adicionar proteínas ao seu corpo, prefira as de origem vegetal (leguminosas e cereais).

Cítricos

Algumas pessoas com gota ou artrose experimentaram melhoras em suas articulações ao deixarem de consumir estas frutas. Dentro dos cítricos estão incluídos:
  • Laranja
  • Limão
  • Toranja
  • Tangerina
  • Lima
Para que seu copo tenha a quantidade necessária de vitamina C que reforce o sistema imunológico e evite doenças de todo o tipo, é necessário ingerir entre 75 e 90 mg por dia (caso seja mulher ou homem). Para isso, você pode optar por hortaliças e frutas ricas em vitamina C que não são cítricas:
  • Brócolis
  • Mamão
  • Kiwi
  • Goiaba
  • Morango

Café e chá

A cafeína, e em menor medida a teína, agravam a inflamação em pessoas com artrite. Além disso, beber várias xícaras de chá por dia reduz a quantidade de minerais e vitaminas que se encontram no corpo. O mesmo ocorre com o chocolate.
Não se aconselha consumir este alimentos imediatamente depois de almoçar ou jantar, por exemplo. Os refrigerantes de cola apresentam efeito similar, além de causarem outros problemas de saúde.

O que podemos comer?

Analisando a lista anterior parece que não temos a permissão de consumir nada caso tenhamos dores articulares, mas não é bem assim. Preste atenção a estes permitidos:
  • Frutas vermelhas
  • Cereais integrais
  • Chá verde
  • Cebola
  • Alho-poró
  • Abobrinha
  • Alface
  • Cenoura
  • Maçã
  • Ervas naturais
  • Sucos naturais
  • Açúcar mascavo
  • Stévia
  • Banana
  • Uva
  • Aveiahttp://pt-br.natvim.com/treatment/31034-quais-sao-os-alimentos-que-podem-causar-dor-articular
  •  

Fiscalização encontra bombas adulteradas em postos de combustíveis de João Pessoa

Uma fiscalização realizada pelo Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial da Paraíba (Imeq-PB) e pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) em postos de combustíveis de João Pessoa detectou algumas irregularidades nesta terça-feira (7).

Leia mais Notícias no Portal Correio  e naçãoruralista.com.br
A ação teve como objetivo analisar a vazão das bombas de combustíveis, para certificar se o volume informado ao consumidor é o mesmo que chega ao automóvel. Bombas adulteradas e a ausência de preços nos postos foram as irregularidades mais comuns encontradas pelas cinco equipes dos órgãos, que foram designadas para fiscalização desta terça.

De acordo com o superintendente do Imeq-PB, Arthur Galdino, que coordenou presencialmente uma das equipes, o objetivo das análises é fazer com que o consumidor não seja lesado pelos estabelecimentos. 

“Nós queremos garantir que o consumidor adquira o produto correto e que o empresário comercialize com segurança. Por isso fazemos essas análises. Quando percebemos alguma irregularidade, nós autuamos o dono do posto e lacramos a bomba, para que não seja mais usada até que seja reparada”, disse Arthur. 

Outras irregularidades encontradas foram relacionadas a mangueiras da bomba que não eram autorizas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), lacres colados ou rompidos e bombas com dígitos apagados. Ainda nesta semana, um relatório deve ser divulgado com o detalhamento das fiscalização desta terça-feira. POSTADO POR FERNANDO COUTINHO
NAÇÃORURALISTA.COM.BR

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Quase metade das rodovias da PB são péssimas, ruins ou regulares, diz pesquisa

A Confederação Nacional dos Transportes promoveu a 21ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias e avaliou 105.814 km de estradas, um acréscimo de 2.555 km (+2,5%) em relação a 2016. Foi percorrida toda a extensão pavimentada das rodovias federais e das principais rodovias estaduais do país. Neste ano, a pesquisa constatou uma queda na qualidade do estado geral das rodovias pesquisadas. A classificação regular, ruim ou péssima atingiu 61,8%, enquanto em 2016 esse índice era de 58,2%. Em 2017, 38,2% das rodovias foram consideradas em bom ou ótimo estado, enquanto um ano atrás esse percentual era de 41,8%. Confira aqui o relatório geral do estudo e o resumo dos principais dados da pesquisa.

Leia mais Notícias no Portal Correio  E NAÇÃORURALISTARADIOJORNAL.COM.BR
Na Paraíba, as rodovias consideradas boas ou ótimas são maioria (56,7%), mas o percentual das estradas consideradas péssimas, ruins ou regulares (43,3%) é bastante significativo. De acordo com a pesquisa, são consideradas ótimas no estado 15,4% (263 km) das rodovias, boas 41,3% (707 km), regulares 19,7% (337 km), ruins 15% (257 km) e péssimas 8,6% (147 km).

No levantamento da CNT, a sinalização foi o aspecto que mais se deteriorou. Em 2017, o percentual da extensão de rodovias com sinalização ótima ou boa caiu para 40,8%, enquanto no ano passado 48,3% haviam atingido esse patamar. Neste ano, a maior parte da sinalização (59,2%) foi considerada regular, ruim ou péssima.

Em relação à qualidade do pavimento, a pesquisa indica que metade (50,0%) apresenta qualidade regular, ruim ou péssima. Em 2016, o percentual era de 48,3%.

Já a geometria da via, outro quesito avaliado pela Pesquisa CNT de Rodovias, manteve o mesmo resultado do ano passado: 77,9% da extensão das rodovias tiveram sua geometria avaliada como regular, ruim ou péssima e apenas 22,1% tiveram classificação boa ou ótima.

Faltam investimentos
“A queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com um histórico de baixos investimentos em infraestrutura rodoviária e com a crise econômica dos últimos anos”, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade. Segundo ele, a drástica redução dos investimentos públicos federais a partir de 2011 levou a um agravamento da situação das rodovias. Em 2011, os investimentos públicos federais em infraestrutura rodoviária foram de R$ 11,21 bilhões; em 2016, o volume investido praticamente retrocedeu ao nível de 2008, caindo para R$ 8,61 bilhões. Este ano, até o mês de junho, foram investidos apenas R$ 3,01 bilhões.

Para dotar o país de uma infraestrutura rodoviária adequada à demanda nacional, são necessários investimentos da ordem de 293,8 bilhões, segundo o Plano CNT de Transporte e Logística.

Apenas para manutenção, restauração e reconstrução dos 82.959 km onde a Pesquisa CNT de Rodovias 2017 encontrou trechos desgastados, trincas em malha, remendos, afundamentos, ondulações, buracos ou pavimentos totalmente destruídos são necessários R$ 51,5 bilhões.
A 21ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias foi realizada em 30 dias, por 24 equipes de pesquisadores, com cinco equipes de checagem. Além da avaliação do estado geral, do pavimento, da sinalização e da geometria da via, a pesquisa traz informações sobre infraestruturas de apoio, como postos policiais, postos de abastecimento, borracharias, concessionárias e oficinas de caminhões ou ônibus, restaurantes e lanchonetes.
POSTADO POR FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTARADIOJORNAL.COM.BR

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Câmara de Parari aprova desconto no salário de vereadores faltosos

A Câmara Municipal de Parari aprovou por unanimidade na sessão ordinária desta, sexta-feira (3) o projeto de resolução de Nº 02/2017.
O projeto visa disciplinar as faltas dos parlamentares no âmbito do Poder Legislativo parariense, de acordo com o texto aprovado pelo parlamento, o vereador que se ausentar das sessões ordinárias e extraordinárias sem justificativa terá um desconto de cerca de 200 R$ por falta.
 
A matéria é de autoria do vereador presidente, Josenildo dos Santos (PTB), em conversa com o Cariri em Ação, Nildo destacou a importância do projeto para a Câmara.
 
“Nos últimos tempos nosso país tem vivido uma grande crise política e à aprovação deste projeto é apenas uma demonstração do compromisso que a Câmara Municipal de Parari tem com a população, o vereador é um servidor público e deve ser penalizado se não cumprir com seu expediente, assim como qualquer outro funcionário público. É preciso dar exemplo.” Finalizou o presidente Nildo.
 
Ainda durante a sessão, foi colocado em discussão um projeto de lei (PL), de autoria do Poder Executivo que solicitava a Câmara uma autorização para realização de um leilão de bens economicamente inviáveis, o projeto não pôde ser votado por falta de assinatura do gestor municipal, o PL foi devolvido a Prefeitura para receber as assinaturas, conforme orientação do regimento interno da Câmara.
 
O projeto deve voltar à pauta na próxima reunião, marcada para o dia 17 de novembro.

Confira como ficam as férias com a Reforma Trabalhista Posted by Nação Ruralista on segunda-feira, novembro 06, 2017

Uma das grandes mudanças que os trabalhadores vão sentir a partir de novembro com a Reforma Trabalhista é em relação às férias, que antes eram concedidas aos empregados de uma só vez ou, em casos excepcionais, como previsto nas Consolidações das Leis do Trabalho (CLT) poderiam ser concedidas em dois períodos não inferiores a 10 dias. Essa exceção não se aplicava para menores de 18 anos e maiores de 50 anos.

A partir de então, as férias poderão ser fracionadas em 3 períodos, sendo um período não inferior a 14 dias e os outros dois períodos não inferiores a 5 dias. Também foi excluída a limitação de idade para tal benefício. Porém, as férias não poderão se iniciar em dia de repouso semanal (DSR) ou dois dias antes de feriados. Para entender melhor o tema a Confirp Consultoria Contábil preparou um material no qual detalha os principais pontos.

Quem define as férias é o empregador
São muitas as brigas trabalhistas relacionadas às férias. Isso se dá pela confusão de conceito do trabalhador de que por ser seu direito, os dias de descanso poderão ser aproveitados quando bem desejar.

Ponto que poucos se atentam é que por mais que seja um direito do trabalhador, o período a ser tirado pode ser determinado pelo empregador. Assim, se o empregado quiser tirar as férias em outubro e a empresa decidir por dezembro, vale o que o empregador quiser. Nesse ponto, o ideal é buscar acordos. 

Venda das férias

Outro ponto que causa grande confusão em relação ao tema é a possibilidade de venda de até 10 dias das férias. Isso é possível desde que a solicitação seja do trabalhador, com objetivos de aumentar a renda. O empregador não pode impor.

Caso o trabalhador opte pela venda, ele deverá comunicar a empresa até quinze dias antes da data do aniversário do contrato de trabalho. Resta ao empregador decidir o período do ano em que as férias serão concedidas, pagando o valor proporcional aos dez dias que o funcionário vai trabalhar. Importante é que o período máximo de férias permitido para se vender é de um terço.

Mas fique atento, muitas empresas sequer consultam os empregados para saber se este quer ou pode sair 20 ou 30 dias, simplesmente emitem o aviso e recibos de férias já com 10 dias convertidos em abono. Muitos, sentindo-se constrangidos em negar o pedido, acabam cedendo à vontade da empresa por conta da manutenção do seu emprego.

Perdendo esse direito

Há quatro situações nas quais o empregado perde o direito, conforme descreve o artigo 133 das Consolidações das Leis do Trabalho (CLT).

- Quando deixa o emprego e não é readmitido dentro de um período de 60 (sessenta) dias subsequentes à sua saída;

- No caso do trabalhador que permanece em licença recebendo salários por mais de 30 dias no período do ano ou que acumula esse período em faltas justificadas para ir ao médico, ao dentista, por falecimento de parente, em que são apresentados atestados para abono das faltas;

- Quando não trabalha pelo período de mais de 30 (trinta) dias, em virtude de paralisação parcial ou total dos serviços da empresa, recebendo o salário;

- Caso tenha ficado afastado do trabalho pela Previdência Social em função de acidente de trabalho ou de auxílio-doença por mais de 6 (seis) meses, mesmo que descontínuos.

Isso acontece porque nesses casos o trabalhador já obteve o período de descanso, assim o judiciário entende que a finalidade é atingida e não haveria obrigação por parte da empresa em conceder novo período de descanso. 

Em todos os casos, a perda do direito se dá por motivo alheio à vontade da empresa, ou seja, por força maior (paralisação da empresa), por vontade do empregado (licença por motivo de seu interesse, ainda que seja para resolver problemas pessoais, se for de consentimento da empresa) ou, ainda, por motivo de doença ou acidente.

As faltas justificadas podem colocar as férias em risco ou reduzir o período de 30 dias drasticamente. Com até 5 faltas justificadas há a garantia dos 30 dias de férias. De 6 a 14 faltas, estão garantidos 24 dias; de 15 a 23 faltas, 18 dias; de 24 a 32 ausências, 12 dias. Acima de 32 faltas, o direito às férias remuneradas é perdido de acordo com o artigo 130 da CLT.
postado por FERNANDO COUTINHO  -  NAÇÃORURALISTA.COM.BR

BOM DIA TENHA UMA BOA SEGUNDA FEIRA PARA TODOS



sábado, 4 de novembro de 2017

TCE emite alerta para 32 prefeituras da Paraíba incluindo uma do Cariri

 O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) emitiu, em seu Diário Oficial Eletrônico, alertas para 32 prefeituras de cidades paraibanas. De acordo com as notas, os alertas têm como objetivo prevenir fatos que comprometam resultados na gestão orçamentária, financeira e patrimonial.
 
Dentre as irregularidades, as que mais aparecem são Déficit na execução orçamentária; inconsistências, descumprimento de pagamentos com pessoal, transferência de recursos da conta bancárias específica do FUNDEB para outras contas bancárias; entre outras.
 
Cidades como Bananeiras, Aroeiras, Cacimbas, Guarabira, entre outras, são as que aparecem com o maior número de irregularidades.
 
Confira a lista dos municípios abaixo:
Araçagi
Aroeiras
Bananeiras
Brejo dos Santos
Cacimba de Areia
Cacimbas
Caraúbas
Catingueira
Catolé do Rocha
Condado
Curral de Cima
Desterro
Emas
Guarabira
Junco do Seridó
Mãe D’Água
Malta
Marcação
Passagem
Patos
Pilões
Quixaba
Santo Antônio
Salgadinho
Santa Luzia
Santa Terezinha
São José do Bonfim
São José do Sabugi
Serraria
Sousa
Tacima
Teixeira

Prévia da Vaquejada de Sumé acontece próxima segunda-feira

Quase tudo pronto para uma das maiores festas que antecedem a pega de gado da região do Cariri paraibano. Começa na próxima segunda-feira, dia 06, no Parque Vila Cowtry, em Sumé, com grande show de Mano Walter e Forró do Garotinho
 
O evento será realizado como prévia da tradicional vaquejada da cidade de Sumé, que acontecerá em janeiro do próximo ano, também no Parque Vila Cowtry.
 
A 11ª edição da Vaquejada de Sumé no Parque & Haras Vila Cowtry contará grandes prêmios, uma boiada que sempre se mostra espetacular, e como é de se esperar muito forró e uma vasta programação.
 
A Vaquejada de Sumé já está no incluída tradicionalmente no calendário turístico da região caririzeira na terra do poeta Zé Marcolino.